quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Cármen Lúcia traiu a Instituição. Ele nem deu bola para palavra do General Mourão.

 

Exército fará com que Cármen Lúcia pague caro por trair a Instituição

Quem assistiu a palestra completa do general Mourão, na qual ele explicou em quais circunstâncias ocorreria uma intervenção militar, sabe que ali estava sendo explicado um projeto de soluções para o Brasil.
“Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”, disse Mourão em palestra gravada, justificando que “desde o começo da crise o nosso comandante definiu um tripé para a atuação do Exército: legalidade, legitimidade e que o Exército não seja um fator de instabilidade” 
 O Eminente Militar foi claro e objetivo:
Dito isso, sabe-se que Cármen Lúcia não cumpriu o seu papel ontem. 
O Antagonista diz que a presidente do Supremo esperava que Celso de Mello votasse a favor do aval do Congresso para medidas cautelares contra parlamentares determinadas pelo STF.
"Todo mundo esperava. Tanto é que jornalistas publicaram que o placar seria de 7×4."
No entanto, como se viu, Cármen deu o voto definitivo que decretou a morte do STF como autoridade máxima do Poder Judiciário. Ela foi a principal culpada pelo assassinato da Instituição.
O Exército deve intervir para salvar a Instituição. Os três pilares que sustentam uma atuação do Exército estão consolidados. 
A intervenção é questão de tempo. 
Fonte :www.papotv.com.br

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

General diz que Constituição foi ‘abandidada’: “Os militares saberão resolver nosso grave problema”


O general de brigada Paulo Chagas tem usado (cada vez mais) as redes sociais para acordar a população

Em uma publicação feita ontem, Chagas destacou que a Constituição Brasileira foi ‘abandidada’
“A atual CF, promulgada após o fim do Regime Militar, transformou a liberdade em libertinagem e instrumentalizou a impunidade”
Ele fez um rápido comentário sobre a exposição criminosa exposta no MAM na última semana:
“Não é por outra razão que uma jovem mãe leva sua filha de quatro anos para apreciar e tocar a “expressão artística” […] gestores do MAM não têm qualquer escrúpulo para empenhar o dinheiro dos impostos recolhidos de todos os brasileiros para financiar a exposição pública de um nudista.”
Sobre o STF:
“Não é por outra razão que o STF manda trazer de volta ao Rio de Janeiro 55 criminosos líderes das facções que tiranizam as “comunidades” e que promovem assassinatos e guerras pelo domínio do tráfico de drogas no estado.”
Chagas disse que a sociedade está desarmada e 60 mil vidas estão sendo ceifadas por ano:
“O povo é obrigado a ouvir asneiras e mentiras de desarmamentistas, hipócritas especializados em promover a “paz” e que visam não mais do que impedi-la de decidir por si própria a sua auto defesa.”
Com relação ao Congresso Nacional:
“… identificamos, hoje, pasmos e revoltados, a presença massiva de bandidos no Congresso Nacional sendo apaniguados pelos “amigos” estrategicamente empossados no Supremo Tribunal Federal”
Em uma outra publicação, feita pelo Cel Mario Hecksher Neto e compartilhada pelo general, ele destacou:
“Quem vai resolver o nosso grave problema? A resposta é bem simples. Quem vai resolver são os integrantes daquelas instituições nas quais o povo confia: os militares, que têm cerca de 80% de aprovação popular, ano após ano.”
“Os brasileiros saberão corrigir esses equívocos …” encerrou o general.

domingo, 1 de outubro de 2017

PAPO DE ESQUERDISTA.

VEJA COMO A CONVERSA VAI SER SEMPRE A MESMA,SEMPRE A PROMESSA QUE VAI ATACAR OS BANDIDOS,E VAI ACABAR COM A BANDIDAGEM, COMO SE ELES MESMOS SAO OS CHEFES DE TODA A GANG? FICA A DICA VOCE AINDA VAI ACREDITAR EM PROMESSA DESSES CRAPULAS?

JOVEM DESBANCA O LULA, E MOSTRA A VERDADE.

E AGORA LULA, VAI CONTINUAR FALANDO MENTIRA DESCARADAMENTE?

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Vai explodir! Mais um general manifesta sobre a intervenção militar



Os três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, que tomem as providências urgentes para reverter o quadro de imoralidade na política brasileira porque do contrário vai acontecer uma intervenção militar no Brasil.
Mais um general acaba de manifestar publicamente sua posição favorável a intervenção militar.

Confira e avalie

“A Instituição será maculada, violentada e conspurcada diante da leniência de todos aqueles que não pensam, não questionam, não se importam, não se manifestam” Gen Marco Antonio Felicio da Silva
O afastamento dos chefes militares da cúpula do poder, com a criação do MD, moeda de troca política e entregue a incapacidade de civis, incluso de corruptos, como demonstram os anos de sua existência, se deu por pressão externa. Um grande erro, pois, vivemos contexto, histórico, social, político, econômico e militar, diferente de qualquer outra nação e não podemos dispensar, embora a existência de regime democrático, da atuação política das Forças Armadas por meio de seus chefes.
Há anos que os comandantes das Forças Armadas (FFAA) convivem amistosamente e em silêncio obsequioso com diferentes chefes e autoridades de governo, independentemente de políticas espúrias que tentam impor à Nação, da corrupção intensa e do aparelhamento ideológico que permeiam os poderes da República.
Jamais opinando quanto aos graves problemas de toda ordem que envolvem o País, incluso sobre aqueles que colocam a Segurança da Nação em risco e que atingem diretamente a existência de um Estado Democrático de Direito.
Dessa forma, chegamos, hoje, à inaceitável situação, desesperadora para uma Nação que as FFAA têm a obrigação constitucional de tutelar. TUTELAR, sim, isto é, proteger , defender, como ensina qualquer bom dicionário.
Assim, renovando as esperanças dos patriotas civis e militares, da Ativa e da Reserva, ouvimos a recente palestra do Gen. de Exército Mourão, cujo preparo, coragem moral e liderança militar são inegáveis. Traduziu a voz da maioria da população e de militares, asseverando a necessidade de uma intervenção militar caso o caos em que vivemos se torne pior do que já o é, findando com a sangria da Nação, estupefata e insegura, efetuada por enorme e poderosa quadrilha que do governo se apoderou.
Contra ele se levantou a totalidade dos idiotas esquerdopatas que levaram o País ao fundo do poço e aqueles que compõem tal quadrilha, principalmente de políticos e empresários, tentando desmoraliza-lo, mostrando-o como indisciplinado e golpista. E, assim, o fazem para salvar a própria pele.
O Gen Mourão, disciplinado e leal ao Comandante do Exército, reafirma a necessidade da ação legal da Força ao agir, da legitimidade que tem para tal, visto o imenso apoio da população, e que não seja causadora de qualquer instabilidade, o que é o obvio ululante, como diria o saudoso Nelson Rodrigues. Quanto a ser isenta, têm as FFAA um só partido: A Nação brasileira e os que defendem os interesses nacionais.
O General Mourão, ciente da responsabilidade da defesa da soberania da Nação, homem inteligente, informado e preparado intelectualmente, sabe também, que os poderes republicanos estão apodrecidos, dirigidos e dominados por reconhecidos bandidos. Já não funcionam harmonicamente e a grande maioria da população já não se vê, por eles, representada.
O Executivo tem Presidente ilegítimo, Cmt. em Chefe das FFAA, acusado pelo Procurador Geral da Republica como chefe de organização criminosa. As discussões e ações, intra e entre poderes, são tumultuadas, e os problemas de natureza estratégica do País estão relegados ao esquecimento. Decisões são tomadas irresponsavelmente, mesmo as que afetam a Segurança Nacional.
O sentimento de insegurança é crescente, o desemprego continua alarmante. O deficit fiscal é impressionante.
Inteligente, o Gen Mourão nâo pode acreditar na reconstrução do País pela corja que aí está. A atual Constituição tem que ser substituida por outra privilegiando mais deveres do que direitos, consentânea com o caráter nacional. Impunidade zero bem como nula a tolerância com criminosos
O próprio Comandante do Exército afirmou que o País está a deriva.
Assim, o discurso do Gen Mourão não pode ser considerado uma novidade. Os principios sensíveis do Poder Republicano estão corrompidos, o que torna a intervenção das FFAA constitucional e obrigatória, independentemente da ordem de qualquer Poder.
As aproximações sucessivas já terminaram com o insucesso da intervenção das FFAA contra o crime organizado no Rio de Janeiro.
E terminaram ao mesmo tempo em que se inicia, fortemente, o solapamento da legitimidade das FFAA, característica que não podemos perder a qualquer custo, por culpa de um Ministério da Defesa politizado. INTERVENÇÃO JÁ !!!!!!!!
Gen. Marco Felício
 Fonte http://juntospelobrasil.com

General repreende senador: “O sr. chamou um integrante do Alto Comando do Exército de maluco?”




O senador Randolfe Rodrigues usou a tribuna do senado e chamou o General Mourão de ‘maluco’
As palavras de Randolfe, que estão no site do senado, foram: ” … a história se repete como farsa […] as declarações do general Mourão podem ser a opinião isolada de um “maluco”, mas a possibilidade de chantagem das Forças Armadas mostra a falta de autoridade do presidente Michel Temer …”
A resposta do General de Brigada Paulo Chagas foi imediata.

Leia abaixo o email que ele enviou ao senador:
Exmo Sr Senador Randolfe Rodrigues
Corrija-me, por favor, se eu estiver enganado, mas, de acordo com as minhas observações, baseadas na forma como VExa faz seus pronunciamentos públicos, o Sr faz parte de uma minoria que se julga discriminada no conjunto da sociedade e que, coerentemente, empenha-se pela aprovação de leis que privilegiem o seu direito à vida, à manifestação de suas opções e à integridade física, acima do que é oferecido aos demais brasileiros. Repito, por favor, corrija-me e desculpe-me se eu estiver enganado!
Pensando assim, julgo ser incoerência da sua parte a exclusão dos militares do direito à opinião e a criminalização das Instituições Armadas por realizarem a análise e o planejamento da execução das suas missões constitucionais.
O seu pronunciamento na Tribuna do Senado a respeito da palestra e das declarações do General Antônio Hamilton Mourão, no Grande Oriente do Brasil, permite acreditar que, na sua opinião, os militares não têm esse direito e que devem ser considerados e tratados como cidadãos de segunda classe, condenados ao silêncio e ao servilismo!
O Sr, se refere a um integrante do Alto Comando do Exército como “maluco”, e à instituição a que pertence como “chantagista” sem considerar que fazem parte da sociedade e da estrutura organizacional do estado brasileiro e desconsidera que a democracia garante a TODOS os brasileiros o direito de pensar, querer, defender suas ideias e anseios e de exercer, na plenitude, a sua profissão e o seu dever profissional!
A postura adotada por VExa, nos permite aduzir que, na sua maneira de pensar, a divulgação de posições pessoais e, neste caso, PROFISSIONAIS de militares, mesmo que no ambiente reservado de um Templo Maçônico, constitui-se em ameaça à democracia e à hierarquia, quando, na verdade, é e foi, apenas, a difusão da análise institucional de uma missão prevista na constituição!
Os militares, Senador Randolfe, têm o dever de estar SEMPRE atentos às conjunturas interna e externa para, SE NECESSÁRIO, correr em socorro da Pátria e da sociedade quando essas estiverem dominadas pela ilegalidade e pela desordem, como é, sem dúvida, o rumo tomado pelo Brasil quando o observamos de dentro do local de trabalho de VExa.
Mais ainda, senhor Senador, as FFAA devem planejar seu emprego dando prioridade às hipóteses mais extremas e graves, como é o caso da situação de completa ausência de condições de qualquer dos poderes para cumprir seus deveres e de assumir a iniciativa das providências necessárias ao restabelecimento da ordem e do cumprimento das leis, conforme foi comentado pelo General!
Na opinião de grande parte da sociedade, onde incluo a minha, considerando a fragilidade moral dos três poderes da República, essa hipótese, além de ser a mais grave, é também a de maior probabilidade de ocorrer, portanto, senhor Senador, crescem de importância, de seriedade e de utilidade pública as declarações do brilhante militar pretensiosamente criticado por VExa.
Sugiro que o Sr medite sobre a incoerência e o despropósito do seu pronunciamento e que, em oportunidade que obviamente não lhe faltará, retrate-se publicamente, para o bem da verdade, da sua imagem e da tranquilidade do povo dessa terra devastada pela prática da demagogia, da desonestidade e da irresponsabilidade, como VExa muito bem sabe!
Respeitosamente
General de Brigada Paulo Chagas
fonte  www.newsatual.com/

terça-feira, 19 de setembro de 2017

General Heleno publica mensagem de apoio ao General Mourão

O General Augusto Heleno também se manifestou sobre a fala do General Mourão. O texto foi publicado pelo General Paulo Chagas no Facebook. Demonstrando “apoio irrestrito ao amigo”, Heleno afirmou que Mourão apenas “limitou-se a repetir, sem floreios, de modo claro e com sua habitual franqueza e coragem, o que está previsto no texto constitucional.”
Ele também disse que o preocupante, é ver indiciados por corrupção cobrando providências contra um cidadão de reputação intocável, com 45 anos de serviços dedicados à Pátria.
Confira a íntegra do Eminente General:
GENERAL AUGUSTO HELENO
“Meu apoio irrestrito ao meu amigo de longa data e respeitado chefe militar, Gen Ex Antônio Hamilton Mourão. Em resposta a uma pergunta, colocada diante de uma plateia restrita, ele limitou-se a repetir, sem floreios, de modo claro e com sua habitual franqueza e coragem, o que está previsto no texto constitucional. A esquerda, em estado de pânico depois de seus continuados fracassos, viu nisso uma ameaça de intervenção militar. Ridículo. E mais, isso sim preocupante, o descaramento de alguns políticos, indiciados por corrupção e desvio de recursos públicos, integrantes da quadrilha que derreteu o país, cobrando providências contra um cidadão de reputação intocável, com 45 anos de serviços dedicados à Pátria. Aconselho que, pelo menos, se olhem no espelho da consciência e da vergonha. Brasil Acima de Tudo!”